INTERVENÇÃO DA CAMARADA LUÍSA DAMIÃO, VICE-PRESIDENTE DO MPLA PROFERIDA POR OCASIÃO DO 23 DE NOVEMBRO, DATA DA FUNDAÇÃO DA JMPLA
INTERVENÇÃO DA CAMARADA LUÍSA DAMIÃO, VICE-PRESIDENTE DO MPLA PROFERIDA POR OCASIÃO DO 23 DE NOVEMBRO, DATA DA FUNDAÇÃO DA JMPLA

Camarada Paulo Pombolo, Secretário-Geral do MPLA e Coordenador do Grupo de Acompanhamento às Organizações Sociais do Partido;

 

Camaradas Membros do Secretariado do Bureau Político;

Camarada Joana Lina Ramos Baptista Cândido, Membro do Bureau Político e do Comité Central do MPLA e Primeira Secretária Provincial de Luanda do MPLA;

 

Camarada Luzia Pereira de Sousa Inglês Van-Dunem "Inga’’, Membro do Bureau Político do Comité Central do MPLA e Secretária Geral da OMA; 

 

Camarada Crispiniano Vivaldino Evaristo dos Santos, Membro do Bureau Político e 1º Secretário Nacional da JMPLA;

 

Camaradas Membros do Secretariado do Comité Nacional da JMPLA;

 

Camaradas Militantes, Amigos e Simpatizantes da JMPLA;

 

Juventude Angolana;

 

Caros Convidados; 

É com elevada honra e imensa satisfação que começo por estender o meu abraço à Juventude Angolana, em particular à JMPLA, Organização Juvenil do MPLA, pelas celebrações do 58.º aniversário da sua fundação. 

 

Celebramos antecipadamente esta data numa altura em que o nosso país e o mundo enfrentam tempos difíceis com uma crise económica e a propagação da pandemia da Covid 19, em que todos somos chamados a contribuir para o corte da cadeia de transmissão deste inimigo invisível e letal. Para o efeito, devemos observar de forma rigorosa as medidas de biossegurança.

 

Aproveito esta soberana ocasião para render a nossa profunda homenagem aos milhares de jovens que em todas as fases do nosso percurso histórico, com mestria e sabedoria, prestaram um contributo inestimável que culminou com a independência nacional, a preservação da integridade territorial, soberania nacional e a conquista da paz. 

 

Hoje, a juventude angolana, que constitui uma franja maioritária da nossa população, continua com a mesma determinação, empreendendo ideias, tomando iniciativas inovadoras, demonstrando a sua responsabilidade em contribuir para uma democracia participativa na rota do desenvolvimento económico do nosso país. 

 

Como reconheceu recentemente o Camarada Presidente João Lourenço, na abertura da IV Reunião do Comité Central de 29 de Outubro “Angola é um país jovem e temos muito orgulho dos jovens angolanos, não só pelo que deram ao país se tivermos em conta que foram os jovens que libertaram o país do jugo colonial, porque são os jovens que asseguram as empresas, as fábricas, a saúde, a educação, a ciência, o desporto, a aviação civil e outros importantes sectores da vida nacional, mas sobretudo porque dela, a juventude, o país precisa muito mais no presente e no futuro”.   

 

CAROS CAMARADAS;

 

O Executivo angolano liderado pelo Camarada Presidente João Lourenço está fortemente empenhado na resolução dos principais problemas que a população atravessa, em particular na criação de oportunidades para a realização dos sonhos e aspirações da Juventude Angolana. 

 

Somos todos convocados a trabalhar e a dialogar com racionalidade e ética, alicerçada na cultura, engajando a juventude na materialização dos seus desejos, que dentre várias preocupações, está ávida no acesso a educação, emprego, habitação, em suma, numa vida melhor. 

 

Assim, são as exigências da juventude em todo o mundo num cenário complexo de crises económicas e financeiras e agora de saúde pública que desafia os governos e as sociedades, face às transformações pelas quais o planeta atravessa neste século, gerando  fortes impactos, especialmente na realização das demandas dos jovens, quer seja na sua forma de socialização, ou na relação que estabelecem com a educação e o trabalho, no seu modo de vida, na sua participação no desenvolvimento das suas localidades, do País e nas suas respectivas perspectivas.

 

Neste contexto, no nosso País, os indicadores de empregabilidade dos jovens constituem desafios que têm merecido prioridade nas políticas públicas, mesmo condicionados pela conjuntura económica e financeira do País e da recente crise de saúde pública imposta pela pandemia da covid-19, o sector público tem realizado concursos públicos que não são ainda a solução para minorar o problema. A solução mais eficaz passa pela diversificação da economia, a alteração da estrutura económica, uma forte aposta e fortalecimento no sector privado, premissas que constam das prioridades do Camarada Presidente João Lourenço. 

 

CAROS JOVENS;

 

Em todas as épocas e culturas, a juventude representa a esperança de um futuro melhor. Pelo vosso entusiasmo, paixão, criatividade, espírito empreendedor, coração e mente aberta para criar e inovar, qualidades que devem ser postas ao serviço da Nação, como o exemplo de jovens que no dia a dia trabalham em prol de outros jovens e apresentam soluções exequíveis para a resolução dos problemas.

 

Os jovens devem ser audazes, perseverantes e desenvolver atitudes que os coloquem como um exemplo de quem a sociedade se pode orgulhar.

 

Aproveitamos esta ocasião para saudar todos os jovens angolanos que se têm destacado em várias áreas, elevando assim o bom nome de Angola em África e no mundo.

 

Neste momento em que estamos a consolidar no nosso país a nossa democracia, os jovens devem se orgulhar de terem uma participação activa neste processo. 

 

Estamos plenamente convencidos que uma democracia ampla exige atitudes dignas e impõe responsabilidades a todos os actores e os jovens devem interiorizar este sentimento. 

 

ESTIMADOS JOVENS; 

 

Ao celebrarem o 23 de Novembro, desafio-vos a continuarem a construir espaços de diálogo construtivo, de debate de ideias saudáveis na sociedade angolana, nos bairros, nas escolas através das praxes académicas, nas placas, no ciclo de amigos e amigas com respeito, tolerância, serenidade, atacando os problemas e não as pessoas. 

 

Quando atacamos o outro, quando ofendemos ou adjectivamos o outro, perdemos o essencial e a essência, principalmente, a capacidade de apresentarmos soluções para a construção do nosso futuro. A juventude Angolana é exemplar e ama o seu país e os seus símbolos.  

 

É preciso reflexão, mas mais do que isso, é preciso dialogar, dialogar com civismo, com inteligência e com responsabilidade. É preciso que a JMPLA continue a contribuir no quadro das suas acções e da sua missão na educação patriótica dos Jovens. 

 

CAROS CAMARADAS ;

 

Na abertura do Congresso da JMPLA, o Camarada Presidente João Lourenço destacou que “A JMPLA é o fiel intérprete dos anseios e aspirações da juventude angolana, cuja missão radica da necessidade de contribuir na educação dos jovens angolanos, dentro dos princípios da ética, da moral, do amor ao estudo,  ao trabalho e ao  patriotismo”. Fim de citação.

 

Essas declarações do Camarada Presidente João Lourenço encerram um sentido de grande responsabilidade para a direcção, para os militantes e para os simpatizantes da JMPLA. 

 

Apelo a que se insiram  cada vez mais na sociedade, trabalhando com jovens de todos os extractos sociais, alargando a vossa acção ao meio universitário, nos institutos médios, nas organizações juvenis, nos espaços culturais e nos mais diversos meios associativos, tornando assim a JMPLA numa organização mais inclusiva .

 

Os jovens da JMPLA devem constantemente desafiar-se em atingir patamares de excelência quando se tratar de servir o povo angolano.

 

Saudamos o facto da JMPLA continuar a afirmar-se como forte esteio do MPLA e peça fundamental para a sensibilização e mobilização dos jovens em prol das diversas actividades conducentes ao progresso e desenvolvimento do país.

 

Uma palavra às jovens mulheres. Nunca percam o foco e abracem sempre o profissionalismo, o mérito e a competência. Coloquem sempre o vosso talento e saber em tudo o que fizerem e nunca prescindam dos valores como a humildade, a solidariedade, a tolerância e o respeito.  

 

CAROS CAMARADAS;

 

O nosso povo já enfrentou e venceu grandes dificuldades e estamos convictos que também venceremos este momento difícil que a nossa economia atravessa.

 

Somos um só Povo e uma só Nação que nos momentos mais difíceis sempre manteve a confiança e esperança alicerçadas na força dos ideais do nosso glorioso MPLA.

Nesse sentido, repudiamos categoricamente o aproveitamento político da crise económico-financeira agravada pela pandemia da Covid-19.

 

A difícil situação que vivemos hoje, exige sacríficos de todos os filhos da Nação Angolana. 

 

Não é com incitamento à desobediência civil, que vamos vencer os problemas que afectam os jovens. A juventude angolana atenta, não se deixará instrumentalizar pelos inimigos da paz e da unidade nacional.

Devemos continuar a mobilizar toda a juventude angolana e elevar a sua cultura patriotica com vista a defender a estabilidade, a paz e a democracia.

 

Devemos rejeitar categoricamente o discurso do ódio e da divisão dos angolanos. A paz e a democracia são valores inalienáveis do Povo Angolano.

 

Nunca percam o optimismo, a confiança e a esperança na construção de uma Angola cada vez mais democrática, desenvolvida, moderna e próspera.

 

Viva Angola!

Viva os angolanos!

JMPLA- PELA CIDADANIA E PELO PROGRESSO, CONSTRUAMOS UM FUTURO MELHOR –

MUITO OBRIGADA.

 

Luanda, aos 21 de Novembro de 2020.

Ver todos os artigos
Próxima notícia
Imprensa
Redes Sociais
Facebook
Youtube