JMPLA: Presidente do MPLA reitera forte esperança e confiança do Partido
JMPLA: Presidente do MPLA reitera forte esperança e confiança do Partido

Camarada João Lourenço disse hoje, 10, sentir no ar o pulsar e a energia contagiante que caracteriza os jovens membros da organização juvenil

PortalMPLA, 10 OUTUBRO 19 (5ª FEIRA) – Ao abrir o 8.º Congresso Ordinário da JMPLA, o Presidente do MPLA, Camarada João Lourenço, declarou que o Partido deposita uma forte esperança e confiança na sua organização juvenil, pelo potencial que representa.

O Camarada Presidente lembrou que o 7.º Congresso Extraordinário do MPLA, realizado Setembro de 2018, apostou seriamente na promoção da mulher e da juventude, tendo logrado que 61 por cento dos membros eleitos ao Comité Central do Partido sejam são jovens.

Acrescentou que os jovens mais atentos, que fazem a leitura dos sinais dos tempos, sabem o que isso representa, tendo realçado que esta injecção é uma demonstração clara da aposta nesta franja da população, da qual se espera uma outra postura, uma outra forma de estar e de ser, necessárias para os desafios do desenvolvimento de Angola.

“A posição do MPLA com relação ao género e aos jovens tem o seu reflexo na actual composição do Executivo e de outras instituições do Estado, onde, ontem mesmo, nomeámos e empossámos a primeira jovem mulher ministra das Finanças de toda a história de Angola” - realçou.

João Lourenço disse sentir no ar o pulsar e a energia contagiante que caracteriza os jovens membros da organização juvenil do MPLA ao longo dos anos, viveiro de militantes, quadros e dirigentes de destaque do Partido, fiel intérprete dos anseios e aspirações da juventude angolana, cuja missão radica da necessidade de contribuir na educação dos jovens angolanos, dentro dos princípios da ética, da moral, do amor ao estudo e ao trabalho e do patriotismo.

O Presidente do MPLA garantiu que a força de uma Nação reside na força da sua juventude, naquilo que ela for capaz de fazer, de realizar de nobre, de ético e patriótico.

“Para que isso seja possível, não obstante as liberdades e garantias dos cidadãos, asseguradas na Constituição e na lei, importa que os jovens se deixem guiar de forma consciente, por pessoas, partidos políticos e organizações da sociedade civil que sejam idóneas, responsáveis, e porque, por estarem de boa-fé nos seus propósitos, aceitem dar a cara, porque actuam nos marcos da lei, da democracia e, por isso, não têm nada a esconder nem a temer”.

/www.mpla.ao

/ER/LN/AB

/Foto: DG

Ver todos os artigos
Próxima notícia
Imprensa
Redes Sociais
Facebook
Youtube